·
Recorde de representação portuguesa no ICOP 2018
20 novembro, 2018
Foi o ano em que Portugal teve a maior representação de sempre no evento pois, muito embora a comprovada importância do mesmo, o número de OP existentes no nosso país e até o facto de, desde 2017, o chairman do ICOP ser um português, o Presidente da Portugal Fresh - Eng.º Gonçalo Andrade, a realidade é que as delegações nacionais têm ficado aquém do esperado.

O networking e a criação de uma plataforma de diálogo para as Organizações de Produtores (OP) de frutas e hortícolas foi a ideia base para a criação do ICOP (Conferência Internacional das Organizações de Produtores de frutas e produtos hortícolas) que em 2019 vai para a sua 14.ª edição. A conferência tem tido lugar em vários países da europa, onde a empresa organizadora, a consultora austríaca Gfa, escolhe como colaborador um parceiro local ligado ao sector. Em 2016, o ICOP decorreu em Portugal e os parceiros nacionais foram a Portugal Fresh e a FNOP. 

Foi o ano em que Portugal teve a maior representação de sempre no evento pois, muito embora a comprovada importância do mesmo, o número de OP existentes no nosso país e até o facto de, desde 2017, o chairman do ICOP ser um português, o Presidente da Portugal Fresh - Eng.º Gonçalo Andrade, a realidade é que as delegações nacionais têm ficado aquém do esperado.

Em novembro de 2018, a cidade de Roterdão recebeu o ICOP, estiveram representados 21 países num total de 150 conferencistas. Destes, 7 eram portugueses, dos quais salientamos 2 representantes do GPP e 3 quadros das duas únicas OP nacionais presentes, a Lusomorango e a Torriba. Da qualidade dos oradores, que debateram temas da política à economia e as suas repercussões na actividade das OP, aos almoços e jantares, onde se trocaram informações e experiências, às excursões que decorreram no último dia do encontro, onde se visitaram empresas relevantes no panorama hortofrutícola holandês e internacional e até, ao tour pela cidade, tudo contribuiu para um regresso aos países de origem com mais conhecimento e novas ideias a pôr em prática.

Esperamos por isso com expectativa pelo próximo novembro em Hamburgo!

 

 

Por Alexandra Diogo, FNOP.